Arquivo da categoria: news

A morte de Steve Jobs – Bloomberg

Virou notícia no mundo todo o obituário de Steve Jobs publicado erroneamente pela agência Bloomberg no dia 28 de agosto. O erro da agência não é novidade no meio jornalístico: não são tão raras as vezes em que uma personalidade foi “morta” antecipadamente pela imprensa. A falha é inerente à atividade humana. No caso da Bloomberg, as observações contidas no texto publicado – sobre pessoas na Apple a serem contatadas no dia da morte de Jobs e as informações factuais substituídas por espaços ocupados por XXX – aumentam ainda mais o impacto do erro cometido.

via –> http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos.asp?cod=502IMQ006

outros links pra pra morte dele.

http://www1.folha.uol.com.br/folha/informatica/ult124u438938.shtml

http://oglobo.globo.com/tecnologia/mat/2008/09/09/steve_jobs_ironiza_noticia_de_sua_morte_apresenta_novos_produtos_da_apple-548141913.asp

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em musica, news, web culture

Blogs and information on what is really going on in Georgia

———- Forwarded message ———-

From: Zviad Sulaberidze <zviangi@gmail.com>
Date: 2008/8/11

Please resend it to anyone accessible for you, mailing lists, friends as

much as possible

http://tsxinvali.blogspot.com/

http://russiangeorgianwar.blogspot.com/

http://qartu.com/

http://stop-bombing.blogspot.com/

http://occupation.tspteam.com/

http://geoconflicts.wordpress.com/

http://realgeorgia.wordpress.com/

http://warnet.ucoz.org/

We are here in the ministry of education, organized a cyber-office,
disseminating true info about Invation of Georgia.
Russians is about to enter Tbilisi. I dont know if I will be accessing
the net after

God save Georgia

Zviad

Deixe um comentário

Arquivado em news

Google Apps fora do ar? e o google sai do ar?

from geek.com.br

08/08/2008 08:08 – 2054 exibições

Confusão bloqueia vida virtual de usuário pagante do aplicativo Google Apps. Problema foi resolvido após alguns dias, mas levanta a questão de dependência dos serviços de uma só empresa e lança dúvidas sobre o modelo “Software as a Service”.

Hoje muitos usuários mantém suas vidas online em produtos da empresa Google. Email, processador de texto online, comunicador instantâneo, calendário online e armazenamento de fotos são apenas alguns dos serviços oferecidos, mas um evento recente levanta a questão da dependência e aposta nas soluções de uma única empresa, ou ainda no armazenamento em um único lugar.

O debate começou com um evento isolado: Nick Saber, presidente da CrossTech Media, voltava do almoço na segunda-feira quando tentou se conectar novamente à sua conta no Gmail. Um aviso mostrou que isto não seria possível, já que sua conta havia sido bloqueada. Por usar um mecanismo único de autenticação, isso significava que Saber estaria sem acesso a qualquer uma das aplicações web da empresa, chamadas Google Apps.

Segundo o blog Boing Boing, o executivo, que pagava por uma conta avançada nos serviços, enviou um email à Google e recebeu como resposta a informação de que uma investigação havia sido realizada sem sucesso e que nenhum outro detalhe poderia ser dado.

O assunto que gerou comoção na web, felizmente teve solução, mesmo que demorada. Em contato com o usuário, a Google explicou que sua conta havia sido bloqueada por questões de segurança e uma cobrança suspeita de US$ 490,30, realizada pelo serviço de pagamento online “Google Checkout”, conforme pode ser lido no blog de Chris Brogan, colega de trabalho de Nick Saber e que cobriu todo o caso em seu site.

Muitos dos leitores do site Gizmodo criticaram a notícia, chamando-a de sensacionalista e afirmando que este foi um caso isolado. Contudo, a preocupação é válida e serve de aviso para que pessoas não depositem toda sua vida em apenas um espaço.

Em janeiro de 2007, por exemplo, noticiamos que alguns usuários do Gmail reclamavam de ter suas contas esvaziadas sem qualquer aviso prévio. Uma investigação posterior da Google revelou que aproximadamente 60 contas haviam sido afetadas e que partes dos dados puderam ser, enfim, restaurados. Na época, alguns sites mais compreensivos alegaram que o Gmail ainda está versão beta e, por isto, erros deste tipo podem ser explicados.

Ainda assim, nossa sugestão de mais de um ano continua a mesma. É possível ativar o recurso POP do Gmail para receber cópias de suas mensagens no computador, para que quando algo assim aconteça o usuário não perca material importante. Quanto aos outros serviços, há também a possibilidade de exportar seu conteúdo para arquivos e programas locais, sem a necessidade de mantê-los apenas no servidor.

1 comentário

Arquivado em cultura web, news, notícias, web culture

Comic-Con 2008 – X-Men Origins: Wolverine

A ComicCon 2008 é uma convenção de fãs de história em quadrinhos que ocorre anualmente em San Diego, Estados Unidos. Foi criada em 1970. Lá rolaram vários acontecimentos, que vou blogar ainda aki,  como um novo teaser/trailer do aguardado X-Men Origins: Wolverine a estréia prevista é 1€ de maio de 2009.

Deixe um comentário

Arquivado em news, notícias

IPETEE, a tecnologia do Pirate Bay para encriptar toda a Internet

reblogado do Remixtures e Publicado 12 Jul 08 no

Passadas poucas semanas depois da Suécia ter aprovado uma lei que autoriza a monitorização e vigilância de todos os emails e comunicações electrónicas dos cidadãos comuns, eis que os piratas suecos vêm a público revelar os detalhes de um novo projecto chamado IPETEE (Transparent end-to-end encryption for the internets), uma tecnologia ainda em desenvolvimento que, garantem eles, irá permitir encriptar todo o tráfego de dados transmitidos pela Internet. Nada modestos estes rapazes… Mas também, a megalomania já se tornou um elemento indispensável da mitologia que rodeia os fundadores do Pirate Bay.

O objectivo desta tecnologia é transformar a Rede num ambiente totalmente invulnerável a mecanismos de monitorização de tráfego, filtragem de conteúdos e trafffic shaping implementados por fornecedores de acesso à Internet, indústrias de entretenimento e governos. Tendo em conta a actual vaga de ataques originários de todos os lados que atentam contra a liberdade dos internautas, a proposta do Pirate Bay para esta tecnologia de encriptação de ponta a ponta não poderia ter vindo em melhor altura. Mas a verdade é que os administradores do popular site de torrents não foram, nem por sombras, os primeiros a ter esta ideia.

O tipo de encriptação que eles estão a desenvolver não se destina a efectuar-se ao nível das aplicações mas antes directamente ao nível do protocolo de rede de modo a abranger todos os tipos de comunicação emails, Web, P2P, streaming, instant messaging, etc.

De acordo com Fredrik Neij (AKA Tiamo), a ideia veio-lhe à mente na Primavera de 2007, por alturas do debate a respeito da IPRED2, a nova directiva comunitária para a aplicação dos direitos de propriedade intelectual. De então para cá, o projecto esteve um pouco adormecido pois só no mês passado, quando o parlamento sueco aprovou a nova lei que implanta esse Big Brother electrónico em nome da “luta contra o terrorismo” é que ele decidiu publicar um esboço de uma proposta. Neij garante que o sistema de encriptação estará pronto antes da entrada em vigor da lei, prevista para Janeiro de 2009.

Em termos práticos, o IPETEE deverá funcionar como uma espécie de plug-in para Windows, Mac OS e Linux que se encarregará de administrar todas as entradas e saídas de dados e de as encriptar sempre que isso seja possível, sem que o utilizador tenha que mexer uma palha: em cada ligação, o IPETEE irá comprovar se o servidor remoto suporta a tecnologia de encriptação. Se sim, ele irá enviar as chaves criptográficas de modo a que o envio da informação seja possível. Quando essa informação chegar ao computador de destino, ela é automaticamente desencriptada. Se o servidor remoto não suportar a tecnologia, então a comunicação irá realizar-se através de uma ligação aberta.

A grande falha da tecnologia que os administradores do Pirate Bay estão a desenvolver é que ao contrário de outras soluções como o Tor, o GnuNet e o I2P que permitem esconder os nossos endereços IP, o IPETEE apenas encripta o conteúdo das comunicações, pelo que não garante o anonimato nem protege o utilizador de eventuais ataques de intercepção de dados do tipo man-in-the-middle. Por outro lado, para além de poder provocar atrasos no estabelecimento das ligações, o mecanismo é também vulnerável a soluções de bloqueio de tráfego como a Deep Packet Inspection.

Apesar destes defeitos, o IPETEE pode bem ser uma resposta eficaz face a soluções como a resposta gradual uma vez que passaria a ser impossível provar qual o tipo de conteúdos que os suspeitos partilharam. É o jogo do gato e do rato em pleno funcionamento. Com toda a certeza que este é apenas o primeiro passo para a massificação de armas de defesa cada vez mais anónimas, seguras e eficazes. Quanto mais os inimigos da liberdade tentarem controlar a Rede, mais os abusadores da liberdade (pedófilos, cibercriminosos e terroristas), vão acabar por tirar partido de subterfúgios para fugir a esse controlo. No final, os ISPs, governos e indústrias de entretenimento apenas acabam por contribuir para um extremar de posições em que os artistas e os inocentes são os verdadeiros prejudicados. E pensar que tudo teria sido tão mais fácil se entidades como as editoras discográficas optassem por dialogar com as produtoras de software P2P…

2 Comentários

Arquivado em cultura web, news, notícias, web culture